Metalpunk

é, primeiramente, um RPG de mesa pós-apocalíptico. Mas o gênero pós-apocalipse é amplo, abrigando subgêneros que vão do místico-sobrenatural (o Apocalipse mesmo, bíblico, o Ragnarok nórdico e tal, explorados em RPGs como Armaggedon e Rapture) à ficção-científica (apocalipse nuclear, invasão alienígena, como em Rifts, Torg, Degenesis e Twillight 2000).

Ao se criar um cenário nesse gênero é inevitável escolher (ou ser escolhido por) uma quantidade limitada de conceitos de alguns poucos subgêneros… o contrário levando a uma salada indigesta, desarmônica, deselegante e incoerente… no caso do MetalPunk, os subgêneros mais influentes foram o apocalipse tecno-ambiental e o místico-sobrenatural, em especial como retratados na série de filmes Mad Max, no mangá Akira, no famoso (ou famigerado) filme da Sessão da Tarde estrelando Patrick Swayze, Crepúsculo de Aço, e na série de jogos (RPG de mesa e boardgames) The Mutant Chronicles, fontes essas de onde extraímos os conceitos ou imagens seminais do jogo, como a imagem do cavaleiro medieval sobre uma Harley Davidson (do filme não ligado ao gênero pós-apocalipse, o Knightriders de George A. Romero), a ideia do guerreiro das estradas (Mad Max) e de poderosos psiônicos lutando entre si por recursos como combustível em desertos e outras terras devastadas…

Eis as origens do jogo e um rascunho do seu cenário. A linha mestra ou o tom é nietzschiano: “Ao mais forte – a luta”. Em outras palavras, em uma sessão de Metalpunk pode-se esperar conflito após conflito e a sobrevivência apenas do mais forte.

Conflitos físicos são a norma, mas há também aventura, exploração, conflitos mentais e sociais, conflitos éticos – matar para sobreviver? –, emocionais – sacrificar-se por conta de um ente querido fraco e portanto menos apto à sobrevivência a longo prazo? – e existenciais – buscar respostas no passado perdido ou no futuro sombrio? Acima de tudo, a preocupação constante com a escassez de recursos e com a sobrevivência, tudo isso embasado por um sistema de regras – o Megadice System – original e meticulosamente criado para representar até a menor das facetas únicas ou próprias do cenário/gênero.
Por |2016-02-02T13:02:42+00:002 de fevereiro de 2016|Metalpunk|0 Comentários

About the Author:

Deixar Um Comentário