O público-alvo do Metalpunk é o grande público dos tabletop games: meninos e meninas, homens e mulheres de todas as idades, novatos e veteranos igualmente. Desde o começo faz parte das diretrizes de design a intenção de criamos um jogo comercial ou mainstream, com uma sólida base tradicional (até mesmo oldschool: atributos, perícias, raças, arquétipos ou tipos de personagens, dados poliédricos, etc.) sobre a qual poderíamos, em doses homeopáticas, inserir ideias e mecânicas sofisticadas e até inovadoras. Em outras palavras: embora o jogo todo seja feito por apenas dois caras e com orçamento mínimo, a ideia passa longe dos critérios indie: era e ainda é criar um produto profissional e comercial em todos os sentidos, com abrangência, amplitude ou dinâmica temática e mecânica (em termos de regras) suficiente para ter algo a oferecer a todos os tipos de jogadores.

A intenção é comercializar o jogo em todas as mídias possíveis.

Assim, tanto para os apoiadores (quer seja através de financiamento coletivo, pré-venda e outros canais) quanto para o público em geral posteriormente, a ideia é ter opções digitais (o livro em versão pdf.) e impressas (impressão sob demanda a princípio, quem sabe a distribuição e disponibilização em pontos de venda). Temos planos até mesmo para outros formatos além do livro comum, como

capas alternativas (o título, Metalpunk, sugere metal, por exemplo…) e até mesmo caixas (os famosos boxed sets) recheadas de props.

A possibilidade de lançamento internacional nunca foi descartada, aliás muitas vezes as decisões (tanto de design quanto comerciais) levaram em consideração o que os jogadores gostariam de ter e como gostariam de jogar, não importando em qual lugar do planeta estivessem. Ainda nesse contexto, existe grande dose de influência multicultural no Metalpunk. Você poderá nota-la em nomes, descrições e figuras que não fazem necessariamente parte da cultura brasileira, mas sim de uma maior… global.

Tal qual um bom vinho, o processo de maturação de um jogo leva tempo. No caso do MP, acreditamos que ele já esteja bem

“encorpado”, digo: com conteúdo que agradará a todos os gostos, inclusive aos mais apurados. Isso significa dizer que se o jogador quiser apreciar as nuanças mais sutis oferecidas pelo cenário, ele certamente encontrará no MP uma experiência recompensadora.
Por |2015-11-29T15:00:12+00:0029 de novembro de 2015|Metalpunk|0 Comentários

About the Author:

Deixar Um Comentário